Tour de France 2024: confira etapa a etapa e altimetrias

HomeCompetiçõesDestaque

Tour de France 2024: confira etapa a etapa e altimetrias

Para sua 111ª edição, pela primeira vez na história, a chegada do Tour de France não será em Paris e sim em Nice, com um contrarrelógio individual

Pelotão em direção do Puy de Dôme na etapa 9 do Tour 2023

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/ASO

Nesta temporada, o Tour de France teve que mudar. Com os Jogos Olímpicos de Paris batendo à porta, a mais prestigiada corrida Grand Tour, de 29 de junho a 21 de julho, deixou tradições de lado. Para sua 111ª edição, pela primeira vez na história, a chegada não será em Paris. A bela Nice foi a escolhida para a etapa final, uma prova de contrarrelógio.

E, para começar a disputa, mais uma novidade. Pela primeira vez um Grand Depart do Tour na Itália, mais precisamente em Florença. A disputa passa ainda por Bologna e Torino nos quatro dias da competição em terras italianas.

No Brasil, os direitos de transmissão são do canal ESPN e plataforma Star+

Confira etapa a etapa e altimetrias

Tour de France começa pela primeira vez em Florença, na Itália

PRIMEIRA SEMANA
Etapa 1 – 29 de junho – Florença – Rimini – 206km
Etapa 2 – 30 de junho – Cesenatico – Bologna – 198,7km
Etapa 3 – 1º de julho – Piacenza – Torino – 230,5km
Etapa 4 – 2 de julho – Pinerolo – Valloire – 139,6km
Etapa 5 – 3 de julho – Saint-Jean-de-Maurienne – Saint-Vulbas Plaine de l’Ain – 177,4km
Etapa 6 – 4 de julho – Mâcon – Dijon – 163,5km
Etapa 7 – 5 de julho – Nuits-Saint-Georges – Gevrey-Chambertin – 25,3km (ITT)
Etapa 8 – 6 de julho -Semur-en-Auxois – Colombey-les-Deux-Églises – 183,4km
Etapa 9 – 7 de julho – Troyes – Troyes – 199km

O Tour 2014 começa dia 29 de junho, sábado, com uma etapa de 206km entre Florença e Rimini. É uma etapa com percurso montanhoso, o que significa ser muito provável que o primeiro camisa amarela de 2024 não seja um velocista, como estamos acostumados. Os organizadores aproveitaram ao máximo as colinas dos Apeninos que ficam entre a largada em Florença e a chegada na Costa Adriática, incluindo sete subidas no total – a última das quais San Marino (7,1 km 4,8%), de categoria 3, a 27km do final.

“É raro o Tour de France começar com mais de 3.600 metros de subida – na verdade, isso nunca aconteceu antes – e é também a primeira vez que a corrida visita a cidade-natal de Gino Bartali. A sucessão de colinas na Toscana e Emilia-Romagna provavelmente será o cenário para um confronto imediato entre os favoritos, especialmente a subida a San Marino, onde a corrida somará sua 13ª localidade ao seu catálogo de subidas no estrangeiro”, diz Christian Prudhomme, diretor do Tour de France.

Mais de mais de 3.600 metros de subida na etapa de abertura do Tour 2024

Subida final da 2ª etapa é tradicional do Giro dell’Emilia

A 2ª etapa, dia 30 de junho, domingo, terá 198,7km entre Cesenatico e Bologna e leva o pelotão a Imola e ao seu famoso circuito de automobilismo. A parte final da etapa, com a subida ao Santuário de San Luca (1,9km a 10,6%), tradicional final do Giro dell’Emilia, será disputada duas vezes nos 40km finais.

Terceiro dia será a etapa mais longa do Tour 2024

A 3ª etapa, dia 1º de julho, segunda-feira, será a etapa mais longa do Tour 2024, com percurso de 230,5km entre Piacenza e Torino. No trajeto, o pelotão prestará uma breve homenagem a Fausto Coppi passando por Tortone, onde morreu o campioníssimo. Será a primeira chance dos velocistas marcarem pontos para a classificação da camisa verde.

O pelotão cruza a fronteira pelos Alpes na etapa 4

A 4ª etapa, dia 2 de julho, terça-feira, larga de Pinerolo, ainda na Itália, e termina em Valloire, na França, com 139,6km de percurso. O pelotão cruza a fronteira pelos Alpes na primeira etapa de montanha da disputa de 2024, mas com os últimos 19 km em descida, depois das passagens pelo Sestrières, Col de Montgenèvre e Col du Galibier.

“A corrida sai de Itália depois de uma longa subida até Sestrières, onde Fausto Coppi triunfou em 1952, com a fronteira alcançada no Col de Montgenèvre. Depois, o trajeto sobe o passo de Lautaret e o pelotão enfrenta o Galibier, a 2.642 metros. Esta será a primeira oportunidade para os favoritos se testarem nas altas montanhas”, destaca o diretor do Tour, Prudhomme.

Etapa 5 é oportunidade para velocistas

A etapa 6 será a segunda seguida para os velocistas

Depois de um início duro, a organização do Tour preparou dois dias seguidos de etapas rápidas, para velocistas, algo raro na competição nas últimas décadas. A 5ª etapa, no dia 3 de julho, quarta-feira, com 177,4km, será entre Saint-Jean-de-Maurienne e Saint-Vulbas Plaine de l’Ain. A 6ª etapa, no dia 4 de julho, quinta-feira, conta com 163,5km entre Mâcon e Dijon. Certamente, serão etapas importantes para a classificação por pontos.

Crono da etapa 7 será pela região dos vinhedos da Borgonha

O primeiro contrarrelógio individual do Tour 2024 será na 7ª etapa, dia 5 de julho, sexta-feira, com 25,3km entre Nuits-Saint-Georges e Gevrey-Chambertin. No trajeto há uma subida de 1,6 km entre o terreno ondulado dos vinhedos da região de Borgonha.

A 8ª etapa, dia 6 de julho, sábado, com 183,4km entre Semur-en-Auxois e Colombey-les-Deux-Églises, com os primeiros dois terços do trajeto com cinco subidas categorizadas. Os altos e baixos ​​podem sobrecarregar as pernas; os últimos três quilômetros sobem ligeiramente, mas de forma constante.

Etapa 8 conta com cinco subidas categorizadas

Etapa 9 terá 14 trechos de estradas de cascalho.

A primeira semana do Tour 2024 encerra com uma das etapas mais esperadas. A 9ª etapa, dia 7 de julho, domingo, com 199km com largada e chegada em Troyes, terá 14 trechos de estradas de cascalho. “As estradas brancas, que já são uma característica emblemática da Strade Bianche e da Paris-Tours, voltam ao Tour depois da experiência em Champagne em 2022. Serão 14 setores, incluindo seis na parte final da etapa, estendendo-se por 32 km no total”, explica o diretor do Tour.

SEGUNDA SEMANA
Etapa 10 – 9 de julho – Orléans – Saint-Amand-Montrond – 187,3km
Etapa 11 – 10 de julho – Évaux-les-Bains – Le Lioran – 211km
Etapa 12 – 11 de julho – Aurillac – Villeneuve-sur-Lot – 203,6km
Etapa 13 – 12 de julho – Agen – Pau – 165,3km
Etapa 14 – 13 de julho – Pau – Saint-Lary-Soulan Pla d’Adet – 151,9km
Etapa 15 – 14 de julho – Loudenvielle – Plateau de Beille – 197,7km

 

Ventos laterais podem ser um desafio na etapa 10

A 10ª etapa, dia 9 de julho, terça-feira, abre a segunda semana do Tour, com 187,3km entre Orléans e Saint-Amand-Montrond. Na passagem por Issoudun, com as estradas expostas, o vento lateral deve ser um desafio a mais.

A 11ª etapa, dia 10 de julho, quarta-feira, com 211km entre Évaux-les-Bains e Le Lioran, é a única no Maciço Central e terá 4.350 metros de elevação total, com os últimos 50km desafiadores. “A subida ao Col de Néronne, depois até ao Puy Mary Pas de Peyrol com os seus temíveis dois quilômetros finais, continuando depois até ao Col de Pertus, ao Col de Font de Cère e à subida a Le Lioran, a etapa terá todos os tipos de oportunidades para os escaladores atacarem”, define o diretor do Tour.

Oportunidade para escaladores na dura etapa 11

Subida do Rocamadour é o destaque da etapa 12

A 12ª etapa, dia 11 de julho, quinta-feira, com 203,6km entre Aurillac e Villeneuve-sur-Lot, passa por terrenos montanhosos, com destaque para a subida ao Rocamadour, que será percorrida no sentido oposto ao percurso do contrarrelógio do Tour de 2022. A segunda parte da etapa é mais adequada para as equipes de velocistas prepararem a chegada.

Pelotão chega aos Pirineus na etapa 13

A 13ª etapa, dia 12 de julho, sexta-feira, com 165,3 km entre Agen e Pau, cidade conhecida como Porta dos Pirineus. Ainda não chegou o momento de escalar, mas há subidas suficientes no final da etapa. “O Lot-et-Garonne tem lindas estradas no início da etapa, quando a formação da fuga deverá ser monitorada de perto pelas equipes dos velocistas. Mas, em meio ao terreno acidentado que se aproxima do final, as subidas de Blachon e Simacourbe podem representar um problema para os velocistas que não se sentem confortáveis ​​nas colinas”, explica Prudhomme, diretor do Tour.

Col du Tourmalet no trajeto da etapa 14

A 14ª etapa, dia 13 de julho, sábado, vai percorrer 151,9km entre Pau e Saint-Lary-Soulan Pla d’Adet. A primeira etapa nas alturas dos Pirineus tem o lendário Col du Tourmalet, a Hourquette d’Ancizan e a subida ao Pla d’Adet, a 7,9%, na chegada onde, há 50 anos, Raymond Poulidor, avô de Mathieu Van der Poel, comemorou sua vitória no Tour de 1974.

Dia da Bastilha e subida final até ao Plateau de Beille na etapa 15

A segunda semana do Tour termina com a 15ª etapa, dia 14 de julho, domingo, feriado da Bastilha na França. A etapa de 197,7km entre Loudenvielle e o Plateau de Beille, com 4.850 metros de ganho vertical. Com a escalada ao Peyresourde e um final que inclui as subidas do Col d’Agnes e do Port de Lers seguidas da subida final até ao Plateau de Beille, será um teste de resistência.

TERCEIRA SEMANA
Etapa 16 – 16 de julho – Gruissan – Nîmes – 188,6km
Etapa 17 – 17 de julho – Saint-Paul-Trois-Châteaux – Superdévoluy – 177,8km
Etapa 18 – 18 de julho – Gap – Barcelonnette – 179,6km
Etapa 19 – 19 de julho – Embrun – Isola 2000 – 144,6km
Etapa 20 – 20 de julho – Nice – Col de la Couillole – 132,8km
Etapa 21 – 21 de julho – Mônaco – Nice – 33,7km (ITT)

Após o segundo dia de descanso, o pelotão retorna para a terceira e última semana do Tour 2024 com a 16ª etapa, dia 16 de julho, terça-feira, com 188,6km entre Gruissan e Nîmes. Será uma etapa de transição em direção aos Alpes e uma grande oprotunidade para uma fuga ou um escapado. “Os velocistas podem ser os favoritos, mas quando a corrida se afastar da costa, perto de Narbonne, e quando os ciclistas passarem por cima do Pic Saint-Loup, o vento mistral pode soprar forte nesta época do ano e atrapalhar os planos”, destaca o diretor do Tour.

Etapa 16 leva o pelotão em direção aos Alpes

A estação de esqui Superdévoluy estreia no Tour na etapa 17

A 17ª etapa, dia 17 de julho, quarta-feira, com 177,8km entre Saint-Paul-Trois-Châteaux e Superdévoluy, marca a estreia da estação de esqui Superdévoluy no trajeto do Tour. Uma etapa de montanha com muitos desafios nos 40 quilômetros finais, com o Col Bayard e o Col du Noyer (7,5 km a 8,4%) antes da chegada.

Etapa 18 já nos Alpes, com cinco subidas de categoria 3

A 18ª etapa, dia 18 de julho, quinta-feira, com 179,6km entre Gap e Barcelonnette, tem o Côte de Saint-Apollinaire e o Côte des Demoiselles Coiffées no trajeto, na parte baixa dos Alpes.

A 19ª etapa, dia 19 de julho, sexta-feira, com 144,6km entre Embrun e Isola 2000, será uma das mais desafiadoras do Tour 2024, com três subidas acima de 2.000 metros de altitude. A etapa conta com o ponto mais alto da disputa nesta temporada, o Cime de la Bonnette, a 2.802 metros de altitude.

“O menu desta etapa de ultra-montanha pode deixá-lo tonto, mas também irá aguçar o apetite dos melhores escaladores. Embora a etapa tenha menos de 150 km de extensão, os pilotos subirão acima dos 2.000 metros em três ocasiões, sendo o maior teste a subida ao cume de La Bonette, a estrada mais alta de França, a uma altitude de 2.802 metros. Seu panorama de 360 ​​graus é de tirar o fôlego”, destaca Prudhomme.

Etapa 19 terá três subidas acima de 2.000 metros de altitude

Penúltima etapa terá 4.600m de subida acumulada

A 20ª e penúltima etapa, dia 20 de julho, sábado, com 132,8km entre Nice e o Col de la Couillole, será outro dia intenso nas montanhas. A etapa vai contar com quatro grandes escaladas, totalizando 4.600m de subida acumulada, incluindo um topo de montanha com 15,7 km a 7,1% no Col de la Couillole. A batalha começa na subida ao Col de Braus, segue nas subidas ao Col de Turini, Col de la Colmiane e, finalmente, chega ao Col de la Couillole.

Tour de France termina em Nice com contrarrelógio

A 21ª e última etapa do Tour de France 2024 será um contrarrelógio individual de 33,7km entre Mônaco e Nice. A última vez que o Tour terminou com um contrarrelógio foi quando Greg LeMond tirou a camisa amarela de Laurent Fignon na Champs-Élysées em 1989, por apenas oito segundos.

“Trinta e cinco anos depois, só podemos sonhar com um duelo semelhante, envolvendo dois ou três, um autêntico confronto cujo resultado determinará o pódio final da 111ª edição, e o primeiro a terminar longe do seu cenário parisiense familiar. Nesta temporada, o Tour termina na Place Masséna, a apenas algumas pedaladas da Promenade des Anglais, em Nice”, completa Prudhomme, diretor do Tour.

Em sua 32ª edição, o L’Étape du Tour de France 2024 vai repetir o percurso da 20ª etapa do Tour de France, entre Nice e Col de la Couillole, no dia 7 de julho de 2024,

 

AS ETAPAS
Etapa 1 – 29 de junho – Florença – Rimini – 206km
Etapa 2 – 30 de junho – Cesenatico – Bologna – 198,7km
Etapa 3 – 1º de julho – Piacenza – Torino – 230,5km
Etapa 4 – 2 de julho – Pinerolo – Valloire – 139,6km
Etapa 5 – 3 de julho – Saint-Jean-de-Maurienne – Saint-Vulbas Plaine de l’Ain – 177,4km
Etapa 6 – 4 de julho – Mâcon – Dijon – 163,5km
Etapa 7 – 5 de julho – Nuits-Saint-Georges – Gevrey-Chambertin – 25,3km (ITT)
Etapa 8 – 6 de julho -Semur-en-Auxois – Colombey-les-Deux-Églises – 183,4km
Etapa 9 – 7 de julho – Troyes – Troyes – 199km

8 de julho – descanso

Etapa 10 – 9 de julho – Orléans – Saint-Amand-Montrond – 187,3km
Etapa 11 – 10 de julho – Évaux-les-Bains – Le Lioran – 211km
Etapa 12 – 11 de julho – Aurillac – Villeneuve-sur-Lot – 203,6km
Etapa 13 – 12 de julho – Agen – Pau – 165,3km
Etapa 14 – 13 de julho – Pau – Saint-Lary-Soulan Pla d’Adet – 151,9km
Etapa 15 – 14 de julho – Loudenvielle – Plateau de Beille – 197,7km

15 de julho – descanso

Etapa 16 – 16 de julho – Gruissan – Nîmes – 188,6km
Etapa 17 – 17 de julho – Saint-Paul-Trois-Châteaux – Superdévoluy – 177,8km
Etapa 18 – 18 de julho – Gap – Barcelonnette – 179,6km
Etapa 19 – 19 de julho – Embrun – Isola 2000 – 144,6km
Etapa 20 – 20 de julho – Nice – Col de la Couillole – 132,8km
Etapa 21 – 21 de julho – Mônaco – Nice – 33,7km (ITT)

VEJA VÍDEO

LEIA MAIS
Tour de France no Bikemagazine