Paris-2024: Rangel se prepara na Colômbia; confira entrevista

HomeCompetiçõesJogos Paris 2024

Paris-2024: Rangel se prepara na Colômbia; confira entrevista

Bikemagazine conversou com brasileiro convocado para a única vaga olímpica do Brasil no ciclismo de estrada masculino dos Jogos Olímpicos

Vinicius Rangel na Volta de San Juan de 2023

Dani Prandi/Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

Vinicius Rangel será o representante do Brasil na prova de ciclismo de estrada dos Jogos Paris-2024, no dia 3 de agosto. Para se preparar para a disputa, o ciclista de Cabo Frio (RJ) está na Colômbia, de onde conversou com o Bikemagazine logo após a confirmação oficial de sua convocação pela CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo), nesta terça-feira (4 de junho). Leia mais aqui

“Vini” , que integra a equipe espanhola Movistar desde 2021 e é atualmente o único brasileiro em uma equipe World Tour, completou 23 anos em maio e vive seus primeiros dias na Elite, apesar de disputar provas entre os “grandes” há muito tempo.

Ir aos Jogos de Paris, segundo ele, “é um sonho se realizando”. “Vou passar seis semanas na Colômbia, depois volto para a Europa para disputar algumas provas antes dos Jogos Olímpicos”, contou. Entre as corridas estão o Tour de l’Ain, nos dias 13, 14 e 15 de julho, na França, e a Vuelta a Castilla y León, no dia 23, na Espanha.

O brasileiro está em um centro de alto rendimento na cidade de Paipa, departamento de Boyacá, para fazer treinos de altitude. “Sem dúvida, faz diferença treinar em altitude, por enquanto estou me acostumando”, diz o ciclista, que estava em seu terceiro dia no local.

Sobre a prova do ciclismo olímpico em Paris, Vinicius conta que já olhou o percurso e mostrou confiança. “O percurso se encaixa nas minhas características.” Com largada e chegada na praça Trocadéro, a prova de estrada da elite masculina terá 273km, com 2.800 metros de ascensão acumulada. O percurso é bastante exigente, com várias subidas de inclinações de até 6,5%. A prova dos homens vai escalar três vezes a Butte Monmatre, com 1km a 6% e piso de paralelepípedos.

Vinicius faz questão de lembrar que, no Mundial de 2021, em Flanders, na Bélgica, encerrou a disputa da Sub 23 em 9º lugar na prova de estrada em um percurso com características similares e acredita ainda que sua experiência na Paris-Roubaix, que disputou pela primeira vez nesta temporada, podem ajudar. “Aproveitei demais a Paris-Roubaix, não cheguei tão acabado quanto achei que ia chegar. Não pode ter medo, ali tem que ir rápido”, completou. Vinicius foi o quinto brasileiro a disputar a clássica (leia mais aqui).

Vinicius Rangel e o australiano Jackson Medway na fuga do dia no Tour Down Under

A trajetória europeia do brasileiro começou em 2019, quando estreou na Valverde Team-Terra Fecundis, projeto do campeão mundial de 2018 Alejandro Valverde na Espanha, quando teve um resultado muito além do esperado. Em sua primeira competição, a Volta Ciclista Al Penedés, na Catalunha, da categoria Junior, venceu a etapa rainha, a classificação geral e as classificações de montanha e por pontos. As boas performances continuaram e ele garantiu um convite para voltar.

Vinicius começou a carreira no ciclismo na equipe Campos Speed Cycling, de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, quando se destacou nos Jogos Escolares da Juventude. Em 2015, aos 14 anos, conquistou o título de campeão brasileiro de contrarrelógio na categoria Infanto-Juvenil. Venceu novamente em 2016 e também o de resistência e foi chamado para integrar a seleção brasileira da Volta de Codecan, no Uruguai, uma das mais importantes provas da categoria de base da América do Sul, na qual foi campeão juvenil.

Um ano depois repetiu novamente o título de campeão brasileiro de crono. Em 2018, na categoria Júnior, então na Rio Cycling Team, foi vice-campeão brasileiro de estrada, conquistou duas medalhas de bronze (crono e estrada) no Pan-Americano Junior, no México, e foi convocado para integrar a seleção brasileira no Mundial de 2018, em Innsbruck, na Áustria.

Em 2022, Vinicius venceu o Campeonato Brasileiro de Ciclismo de Estrada, que disputou pela primeira vez na Elite, mas, como ainda era Sub 23, acumulou as camisas nacionais das duas categorias. Em 2023, não defendeu o título.

LEIA MAIS
Reportagens com Vinicius Rangel no Bikemagazine