Cadu Polazzo em sua 3ª olimpíada com a seleção de MTB

HomeCompetiçõesAgenda

Cadu Polazzo em sua 3ª olimpíada com a seleção de MTB

Treinador tem 7 títulos brasileiros de MTB na Elite, além de medalhas de ouro, prata e bronze em eventos continentais e outros títulos em diversas categorias

Cadu Polazzo é o treinador da seleção brasileira de MTB desde os Jogos Rio 2016 – Foto de arquivo pessoal

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

Os Jogos Olímpicos receberão pela oitava edição consecutiva as provas de ciclismo mountain bike: a disputa do cross country olímpico (XCO) é parte de Paris-2024. Na disputa, a delegação brasileira conta com o mesmo treinador desde o Rio-2016: Cadu Polazzo, profissional com 24 anos de carreira dedicados ao esporte. 

Membro da equipe da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) desde 2014, o paulista de Pirassununga estará ao lado de Guilherme Pussieldi, chefe da equipe de ciclismo em Paris, e de Raiza Goulão e Ulan Galinski – representantes do país na disputa que reunirá 36 atletas na categoria masculina e outras 36 na feminina.

Mesmo experiente, indo para a sua terceira Olimpíada como parte da delegação, Cadu assume que a emoção ainda se faz presente a poucos dias do embarque – a delegação do ciclismo viaja no dia 20/07 para França.

“Me lembro da primeira vez que tive consciência dos Jogos Olímpicos. Foi em 88, em Seul, quando eu tinha acabado de fazer 9 anos. Desde então, sempre tive um desejo muito forte de estar naquele lugar, com os melhores atletas do mundo”, lembra Cadu. 

“Parece exagerado falar isso, mas é verdade. É o sonho de qualquer treinador e eu tenho o privilégio de estar lá, então a emoção é sempre muito grande. Trabalhar com atletas e outros profissionais de altíssimo nível, vestindo a camisa da seleção brasileira… Estamos ali representando não só atletas e treinadores, mas todo mundo que gosta do esporte. É muito gratificante”, complementa. 

Como é o trabalho de um treinador de seleção
A função de um treinador da seleção brasileira tem especificidades bem distintas em relação ao treinador de uma equipe ou de um atleta. No caso do mountain bike, por exemplo, Cadu Polazzo divide o tempo durante o ano entre as incumbências com a CBC e o selecionado nacional e as tarefas como treinador. 

No caso dos atletas que treina durante o ano, ele é responsável por toda a preparação: volume de treinamentos, ajustes de cargas, planificação detalhada, controle de intensidade de esforço. Com a seleção, o trabalho é bem diferente, focado muito mais com auxílio em programação e outros detalhes inerentes ao período competitivo. 

Tanto Ulan quanto Raiza possuem treinadores diferentes, que acompanham o dia a dia deles durante o ano. O trabalho do treinador da seleção brasileira é complementar. 

“Raiza e Ulan têm ótimos treinadores e o meu trabalho na seleção não interfere no que vêm deles. Tenho outra abordagem, que é muito mais na programação do ciclo olímpico e no calendário de provas. 

Durante as provas, como as Olimpíadas, estou lá para oferecer todo apoio aos atletas. Atuo também auxiliando na motivação, administração da ansiedade, na parte técnica e estratégia de prova de acordo com as características da pista e de cada atleta.”, explica o treinador.  

A experiência de Cadu também auxilia nesse momento – afinal, ele já esteve em outra posição. Nas Olimpíadas de Pequim-08 e Londres-12 ele era o treinador pessoal de Rubens Donizete, o Rubinho, que competiu nas duas competições quando a seleção brasileira tinha outro treinador. 

No Rio-16, a equipe nacional era formada por Raiza, Henrique Avancini e Rubinho – de quem Polazzo se mantinha (e continua até hoje) como treinador. Já nos Jogos de Tóquio-20, a seleção brasileira era formada por Jaqueline Mourão, Luiz Henrique Cocuzzi e Avancini; na ocasião, Polazzo era também o treinador pessoal dos dois primeiros. 

“Esse histórico me auxilia a entender e lidar em cada situação, tanto nas provas quanto na programação dos ciclos olímpicos”, explica. 

Como treinador, Cadu Polazzo contabiliza 7 títulos brasileiros de mountain bike na categoria Elite, medalhas de ouro, prata e bronze em Campeonatos Pan-Americanos, prata e bronze em Jogos Pan-Americanos e muitos outros títulos em diversas categorias da disputa.

Mountain bike em Paris
A prova de mountain bike em Paris será logo no primeiro fim de semana de disputa. A prova da categoria feminina terá a goiana Raiza Goulãot em sua segunda participação olímpica e será no domingo, dia 28 de julho a partir das 14 horas. Já a disputa masculina, que tem a estreia do baiano Ulan Galinksi, acontece na segunda-feira, dia 29 de julho,  também a partir das 14 horas.