Tour de France: Turgis vence “etapa gravel” no sprint; Pidcock é 2º

HomeCompetiçõesDestaque

Tour de France: Turgis vence “etapa gravel” no sprint; Pidcock é 2º

Etapa com passagem por 14 trechos de estradas de cascalho, seis deles na parte final, foi movimentada; confira resultados. Pelotão tem dia de descanso nesta segunda-feira

Anthony Turgis na vitória da 9ª etapa

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/ASO

Vitória francesa no Tour de France em uma uma das etapas mais esperadas desta edição. Anthony Turgis (TotalEnergies) foi o vencedor da “etapa gravel”, a 9ª etapa, neste sábado (7 de julho), com 199km de percurso, com largada e chegada em Troyes, e 14 trechos de estradas de cascalho, seis deles na parte final da etapa, estendendo-se por 32 km no total.

Turgis estava no grupo escapado de 12 ciclistas que segurou a fuga desde os primeiros 50km e seguiu até o final, para faturar a vitória no sprint. Derek Gee (Israel-Premier Tech) foi o primeiro a abrir o sprint, mas terminou em 3º, atrás de Tom Pidcock (Ineos Grenadiers).

O francês de 30 anos comemorou sua conquista. “É uma loucura. Participo do Tour de France há anos, esta é a minha sétima edição, sempre com o objetivo de vencer uma etapa. Eu tinha vencido em todos os níveis de competição, mas estava faltando uma no WorldTour, e agora chega no Tour de France, em uma etapa lendária. Tivemos um grande dia de corrida”, disse.

“Eu queria que os outros me levassem o mais longe possível. Era uma questão de quem jogava de forma mais inteligente. Esta vitória é ótima para a equipe. Viemos para uma vitória em etapa e conseguimos”, completou Turgis.

Pogacar e principais adversários rodaram juntos

Os principais favoritos da classificação geral terminaram todos juntos novamente. Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) fica com a camisa amarela no primeiro dia de descanso do Tour, nesta segunda-feira (8 de julho), com 33 segundos de vantagem sobre Remco Evenepoel (Soudal Quick-Step) e 1min15s à frente de Jonas Vingegaard (Team Visma Lease a Bike) na classificação geral.

Pogacar tentou vários ataques durante a etapa, mas seus principais adversários responderam. “Foi uma corrida bem divertida. Havia muita areia e poeira por todo o lugar, então era impossível ter uma imagem clara da corrida e você tinha que pedalar por instinto e potência. Eu senti ótimas pernas, o que é uma ótima notícia, pois esta foi uma das etapas mais difíceis deste Tour de France. Estou muito feliz com a forma como este início do Tour foi para mim. Sinto-me muito confiante, pois estou em ótima forma e tenho uma equipe muito boa ao meu redor”, disse Pogacar.

Pogacar termina 1ª semana com a camisa amarela e 33 segundos de vantagem

“Não sei o que aconteceu na corrida quando parei para uma pausa na natureza. Só sei que estava tranquilo e então, de alguma forma, tive que perseguir muito forte junto com Tim (Wellens) para recuperar minha posição no pelotão. Daí em diante, cada setor de cascalho estava cheio de mudanças – primeiro Visma liderou, depois nós, então Remco (Evenepoel) atacou, então eu… Em algum momento, Remco, Jonas (Vingegaard) e eu subimos a estrada. Acho que foi uma ótima oportunidade para nós colocarmos algum tempo sobre o resto dos favoritos da GC e garantir o pódio, mas Jonas se recusou a cooperar. Acho que Visma está apenas focando em mim e subestimando os outros concorrentes da GC. Eles apenas me seguem, sem pensar em Primoz [Roglic] ou Remco. Depois, foi uma pena que houvesse algum vento contrário em direção ao final, pois isso tornou impossível para mim escapar nos quilômetros finais”, completou o camisa amarela.

No percurso da 9ª etapa do Tour 2024

Passagem por setor de cascalho, com Wout van Aert na frente

Entre os 12 ciclistas originais da fuga que conseguiram chegar à meta estavam Turgis, Pidcock, Gee e Ben Healy (EF Education-EasyPost), junto com Jasper Stuyven (Lidl-Trek), com mais atuação no final.

Como a fuga mostrava sinais de fadiga nos quilômetros finais, Stuyven lançou um ataque no último setor de cascalho, Saint-Parres-aux-Tertres, comprometendo-se com um esforço individual total, mas o belga foi alcançado no último quilômetro. “Eu previ que Jasper faria um grande ataque. Eu tentei seguir, mas não fazer muito; no fundo da minha cabeça, eu estava pensando: Não faça muito e fique calmo. Se tudo der certo, eu poderia vencer o sprint”, contou Turgis.

Stuyven, que foi escolhido o mais combativo da etapa, falou sobre a prova: “Tentei de tudo e talvez tivesse sido bom não ter tanto vento contrário nos últimos quilômetros. Acho que deixei tudo lá e queria ter forçado um pouco mais no final, mas é o que é e não foi o suficiente. No momento, é difícil ver os pontos positivos. Acho que a partir de agora a maioria das etapas são realmente etapas de sprint ou etapas de montanha, então hoje foi uma chance muito, muito boa e eu estava perto. Acho que terei que aproveitar o dia de descanso amanhã e talvez dar uma olhada para ver se há mais oportunidades.”

MELHORES MOMENTOS

RESULTADOS

Results powered by FirstCycling.com

Próxima etapa
A 10ª etapa, dia 9 de julho, terça-feira, abre a segunda semana do Tour, com 187,3km entre Orléans e Saint-Amand-Montrond. Na passagem por Issoudun, com as estradas expostas, o vento lateral deve ser um desafio a mais.

Ventos laterais podem ser um desafio na etapa 10

AS ETAPAS
Etapa 1 – 29 de junho – Florença – Rimini – 206km
Etapa 2 – 30 de junho – Cesenatico – Bologna – 198,7km
Etapa 3 – 1º de julho – Piacenza – Torino – 230,5km
Etapa 4 – 2 de julho – Pinerolo – Valloire – 139,6km
Etapa 5 – 3 de julho – Saint-Jean-de-Maurienne – Saint-Vulbas Plaine de l’Ain – 177,4km
Etapa 6 – 4 de julho – Mâcon – Dijon – 163,5km
Etapa 7 – 5 de julho – Nuits-Saint-Georges – Gevrey-Chambertin – 25,3km (ITT)
Etapa 8 – 6 de julho -Semur-en-Auxois – Colombey-les-Deux-Églises – 183,4km
Etapa 9 – 7 de julho – Troyes – Troyes – 199km

8 de julho – descanso

Etapa 10 – 9 de julho – Orléans – Saint-Amand-Montrond – 187,3km
Etapa 11 – 10 de julho – Évaux-les-Bains – Le Lioran – 211km
Etapa 12 – 11 de julho – Aurillac – Villeneuve-sur-Lot – 203,6km
Etapa 13 – 12 de julho – Agen – Pau – 165,3km
Etapa 14 – 13 de julho – Pau – Saint-Lary-Soulan Pla d’Adet – 151,9km
Etapa 15 – 14 de julho – Loudenvielle – Plateau de Beille – 197,7km

15 de julho – descanso

Etapa 16 – 16 de julho – Gruissan – Nîmes – 188,6km
Etapa 17 – 17 de julho – Saint-Paul-Trois-Châteaux – Superdévoluy – 177,8km
Etapa 18 – 18 de julho – Gap – Barcelonnette – 179,6km
Etapa 19 – 19 de julho – Embrun – Isola 2000 – 144,6km
Etapa 20 – 20 de julho – Nice – Col de la Couillole – 132,8km
Etapa 21 – 21 de julho – Mônaco – Nice – 33,7km (ITT)

LEIA MAIS
Tour de France no Bikemagazine
Site oficial do Tour de France